19 September 2008

Black Summer

Argumento: Warren Ellis

Desenho: Juan Jose Ryp

Editora: Avatar Press


Numa altura em que a política voltou a ser tema nos comics de super heróis onde estes apresentam os seus argumentos ao sabor de pontapés e socos, Warren Ellis criou uma mini série política onde o tema de super heróis é mais uma vez analisado a uma nova luz.


A premissa desta série e muito simples e ao mesmo tempo controversa: se a tarefa de um super-herói é deter o crime sempre que o encontrar, não poderá esse super-herói deter um governo corrupto?

John Horus é o elemento mais poderoso dos Seven Guns, um grupo de super humanos que adquiriram “melhoramentos” de forma artificial e que se dedicaram a livrar a sua cidade de toda a corrupção, drogas e gangs.


Justificando-se com o facto de o governo dos EUA ter falsificado as eleições e ter entregue a segurança da nação a empresas privadas de segurança que contratam mercenários enquanto os soldados americanos morrem numa guerra baseada em mentiras, John Horus assassina o presidente e vice-presidente na véspera das comemorações do Dia da Independência exigindo eleições livres e um novo começo para o país.

Acontece que quando alguém ameaça o governo dos EUA, a resposta não se deixa esperar. Não querendo correr o risco dos outros Guns estarem envolvidos apesar das garantias dadas por John Horus, o primeiro alvo a abater é Tom Noir. Este é o mais inteligente dos Seven Guns que abandonou a prática quando uma bomba lhe custou uma perna e matou a sua colega e namorada Laura Torch mantendo os seus melhoramentos/poderes desligados há mais de um ano não sabendo se ainda funcionam.


Com o exército a invadir a cidade mas não se arriscando a atacar frontalmente os Guns, estes resgatam Tom Noir e procuram abrigo abrindo caminho de forma espectacular. Acontece que existem outros jogadores que querem os Guns destruídos. O primeiro alvo (falhado) foi Tom Noir. Com esta reunião dos restantes 5 Guns, uma força de vários agentes com melhoramentos semelhantes aos Guns são destacados para abatê-los dando azo a espectaculares, destrutivos e sangrentos combates ao longo dos 7 números desta mini série.



Black Summer é uma mistura de temas. Numa primeira vista, a ideia parece (mais uma vez) ser os super heróis a trocar argumentos e a tentarem mostrar a melhor opção política ao soco e pontapé. De facto a série está cheia de combates grandiosos mas a verdadeira mensagem está em certas críticas que o Warren Ellis faz aos EUA. Sendo um escritor inglês, Ellis consegue o distanciamento necessário para fazer uma análise política e uma forte critica aos EUA na sua intervenção no Iraque.


Esta série também consegue ser uma profunda reflexão dos super heróis: qual é a linha moral que divide os actos de um super herói dos de um criminoso?; com acesso a poderes incríveis, os heróis não conseguiriam semelhantes resultados sem recorrer à violência?; à semelhança de Watchmen, quem é que poderá controlar estes super seres e saber se não terão enlouquecido?; como é que um herói define quais são os limites aceitáveis para quebrar a lei por aquilo que considera ser certo?.

Uma nova perspectiva dada aos super heróis, resultado de uma aposta que o Warren Ellis fez com o editor da Avatar como poderão ler no texto introdutório da série.


O desenho de Juan José Ryp é extremamente detalhado. Tem um nível de pormenores que faz lembrar o de Geof Darrow mas a um ponto de quase saturação da página sem deixar de a sobrecarregar demasiado. A minúcia é tal que quase se poderia reconstruir um vidro partido a partir de todos os pedacinhos que foram desenhados. O mal dele é que não consegue transmitir movimento em muitas vinhetas. Ao desenhar um simples pontapé, o desenhador parece ter as personagens em pose e estar mais preocupado com desenhar os efeitos desse mesmo pontapé do que mostrar movimento e impacto. Ainda assim o extremo detalhe dos desenhos valem uma segunda leitura para apreciar alguns pormenores (exemplo, numa splash page de completo massacre, a um canto, muito pequenino, temos o SpongeBob).

10 comments:

crucios said...

mal posso esperar para ter o meu HC nas mãos :)

celtic-warrior said...

Se tivesse a um preço convidativo no Book Depository até que marchava.

Bongop said...

Essa estória estava nos meus "compráveis", mas como na altura só havia comics, deixei de a seguir! Se já saiu a compilação, tenho ver e decidir! Essa não é aquela em que matam um presidente com a cara do Bush?
Pelo que vi, vem na linha Authority de Ellis, e se tiver a mesma qualidade será um livro a não perder!
Já vi que aplicaste o HTML que eu te mandei!
:)

refemdabd said...

Será que vi ali o Judge Dread?! Eu sei que não, mas o capacete é igualzinho. Este vai ter que aguardar. Estou à espera do Filth.

DC said...

celtic, espera que apareça o trade no book depository. Infelizmente os trades e HC da Avatar são sempre caros:\

Bongop, queres porrada, sangue, tripas e uma reviravolta nos super herois tudo justificado porque um gajo com a cara do Bush (isso só é visivel na capa, dentro não aparece. Belo golpe de marketing) foi assassinado? Vai nessa! Se ainda não saiu, deve estar quase quase a aparecer (recomendo também Freakangels do Ellis).

refem, sempre pediste The Filth? Espero que não te desiludas porque "weird shit" é uma constante nesse livro lol Além de Black Summer, dá uma olhada ao Freakangels;)

refemdabd said...

Já recebi o Filth e está mucho loco indeed. Pelos vistos os meninos andaram a ácidos para sacarem as cenas mais estranhas (que são todas, por sinal). Ainda só vou no segundo capítulo, verdade seja dita, mas nhica-se para a cena. Desde os fatinhos às perucas; a Hand e suas ramificações; da fantástica capa (que deve ter sido o que lhes sobrou do cérebro depois de terem feito o livro) à contra capa; está tudo um espectáculo digno de um louco. Pena é o papel da Vertigo ser tão mau. As cores vertiginosas perdem-se e é realmente uma pena, pois dariam um efeito ainda mais insano.

Vou espreitar o Freakangels.

refemdabd said...

HJá estive a ler as primeiras 12 páginas e gostei.
Atenção: Vão ser lançados 2 Hardcovers, para além do paperback. Um limitado a 2000 cópias; outro limitado a 1000 cópias assinadas pelos dois autores (69.99 com portes incluídos). Eu provavelmente vou ler na Net, pois é um free web comic semanal. ver url: http://www.freakangels.com/

refemdabd said...

PS: Muito obrigado pela magnifica dica. :-)

DC said...

De nada. Freakangels sai sempre às sextas e depois é reunido nos TPBs/HCs. Atenção que o HC assinado é 39.99 dolares preço de capa! O HC normal é 28 dólares.
Black Summer também tem uma edição limitada simples além do trade.
Agora ando a ver se peço o HC assinado do Freankangels. Descobri um sítio que está bastante barato mas já pedi pela Previews o trade:( Agora não sei que faça. Não queria andar a desperdiçar dinheiro a ter repetido mas adorava ter a edição limitada:(

refemdabd said...

Sim, esse é o preço dele, mas depois acrescem os portes ($30.00). Compra os dois e depois troca ou vende o outro. A BDMania vai criar uma swap qualquer coisa.